Sem Tempo


Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para frente do que já vivi até agora.

Sinto-me como aquele menino que ganhou um bacia de cerejas. As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço.

Já não tenho tempo para lidar com mediocridades. Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflados.Detesto rótulos. Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte.

Já não tenho tempo para projetos ambiciosos.

Já não tenho tempo para para estar numa firma administrando o dinheiro de outros e ouvindo mil besteiras.

Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar da idade cronológica, são imaturos.

Não quero ver os ponteiros do relógio avançando em reuniões de “confrontação”, onde “tiramos fatos à limpo”.

Detesto fazer acareação de desafetos que brigam por nada.

Já não tenho tempo para debater vírgulas, detalhes gramaticais sutis, ou sobre as diferentes traduções da Bíblia.

Não quero ficar explicando porque gosto desse ou daquele livro, esta ou aquela religião, este ou aquele time de futebol. Minha resposta será curta e delicada: - Gosto, e ponto final!

Sem muitas cerejas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana; que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita para a “última hora”; não foge de sua mortalidade, defende a dignidade dos marginalizados, e deseja andar humildemente com a força (Deus).

Caminhar perto dessas pessoas nunca será perda de tempo.

Soli Deo Gloria

Marcos
A minha familia e aos meus verdadeiros amigos.


Comentários

Kassya Mendonça disse…
Marcos,
apesar do tempo estar ficando escasso para aqueles que como eu já passou dos 45, não devemos roer os caroços, e sim degustar a cereja com mais calma, aproveitando cada sabor como se fosse único!

Lindo o texto!

beijos
Jackie Freitas disse…
Olá meu anjo amigo!
Sumido, hein?
Anda comendo cerejas e roendo o caroço?? rsrs
Calma! Ainda temos muito pela frente! O importante é a qualidade que escolhemos viver daqui pela frente!
Grande beijo,
Jackie
CLAUDIA disse…
Olá Marcos!
O que entendi de sua mensagem,você fala dos corações cheios de cerimônias e que ali nem a fé mora,mas somente o ego.Me fez lembrar de uma frase Paracelso que fala sobre isso.
Parabéns Marcos muito verdadeiro o que você escreveu.
Bjos em seu coração com cheirinho de Jasmin.
Rosangela disse…
Marcos meu querido... Não sei quais são os fatores que te afetam, nem mesmo se existem tais fatores, pois muitas vezes escrevemos coisas que nem tem nada a ver com a gente, escrevemos pois sabemos que pode afetar de forma positiva a outrem e por ai vai. Mas como este texto seguido de outros que ja li seu em outras postagens, me faz perceber que algo te afeta e tem te causado desanimo. E o que posso dizer é 'não desanima não'. A vida é recheada amigo, e se a gente não se impõem ela perde a graça, as vezes necessitamos berrar para defender nosso time, muitas vezes é necessário para alguns subir escadarias carregando uma cruz, outras fazer jejum, outras ainda passar por campo de concentração, apenas para defender esse recheio. Sabe Marcos, as vezes a gente faz poesia, coisa que nem vende. e por que fazemos? Por que é nosso recheio. Vamos viver a vida sim, lógico e da melhor forma possível, para que ela passe serena e bela, mas cá entre nós uma vida com recheio por favor!
Amigo esperto que te ajude e se não for um comentário conveniente a vc deixo-o como minha opinião referente ao texto. Grande beijo
Deixo-te com Francisco Otaviano


Ilusões da Vida
Francisco Otaviano

Quem passou pela vida em brancas nuvens
E em plácido repouso adormeceu,
Quem não sentiu o frio da desgraça,
Quem passou pela vida e não sofreu,
Foi espectro de homem, não foi homem.
Só passou pela vida... não viveu.
Lucas Neves disse…
Texto maravilhoso!
O tempo é curto e devemos privar-nos de algumas coisas em favor de outras.
Temos, inevitavelmente, que fazer escolhas.

E que consiga fazer a melhor!
Boa sorte na sua caminhada,
seu novo seguidor!
O tempo nos ensina a viver, a criar nossos quereres, ter personalidade formada, o resto vamos que vamos desde que não pisem no pé, deixamos rolar.
Parabéns pelo texto.
Abraços forte
rabiscosdomane disse…
Subi os morros correndo, busquei numa ânsia louca os frutos mais doces e comi mesmo os verdes e nem olheis para as flores dos caminhos. Cheguei ao topo cansado, mas feliz com as conquistas. Agora quero descer devagar, olhando as paisagens, cheirando as flores, me banhando nos riachos e quando chegar lá embaixo descansar à sobra de uma árvore frondosa e dormir o sono dos justos.
Sissym disse…
Marcos, eu tenho me sentido exatamente assim como descrito no seu texto.

beijos