O BRASIL NÃO DEU CERTO.


O BRASIL NÃO DEU CERTO.

Tivemos “500 anos” para fazer isto aqui funcionar e não conseguimos.

Precisamos mudar antes que seja tarde demais. – Separar é mudar -

Se a razão para separar é simples, os motivos para não separar inexistem em termos práticos. Qualquer um que queira achar justificativas para não separar, começará pelas palavras “nossos irmãos” ou “mesma língua”. Se fossem atender a estes apelos de ordem sentimental, o Brasil estaria dividido entre os irmãos holandeses e os irmãos portugueses, para citarmos apenas os mais velhos. Todas as justificativas apelam para o sentimentalismo. Mas nós também teríamos razões sentimentais e fortes, de ordem prática. Queremos nos separar para que os nossos filhos parem de passar fome. E este “nossos filhos” são os do Brasil que não consegue alimentá-los nem educá-los.
O movimento separatista  é sim do povo do Brasil que está cansado de passar fome e não poder ter uma vida decente. É do Sul e do Norte, do Centro-Oeste, do Sudeste e do Nordeste, cujos povos são trabalhadores, porém, mal administrados. Só não é dos políticos e dos grandes empresários. Os políticos do Sul dizem que não podem fazer mais porque o Congresso é dominado pelos parlamentares do norte/nordeste e estes não fazem mais porque não lhes interessam; sua reeleição está garantida pela desinformação do povo, pelo analfabetismo, pelo domínio dos meios de comunicação. Aos empresários não interessa a separação, para que continue a reinar a bagunça fiscal e administrativa que hoje impera no Brasil. Dois ou mais países menores serão mais fáceis de organizar. E esta organização não lhes interessa. Querem continuar a viver às expensas do erário público.
A comunidade internacional também não vê com bons olhos o surgimento de  potências que serão, por “razões históricas” amigas. Os que não querem a separação são uma minoria em quantidade, porém maioria em poder. Cremos fortemente que o povo, querendo, terá forças para se separar.
Sabemos também que as palavras dos separatistas serão distorcidas, procurando dar a impressão de ser um movimento racista ou elitista, ou outro “ista” que encontrem, mas não deixaremos que turvem a nossa mente, pois teremos sempre claro o nosso objetivo que é o de separar para melhorar ambas as partes.
As razões são simples, as justificativas para não separar inexistem, mas o caminho é longo e pedregoso. Nesta caminhada teremos sempre de manter o nosso objetivo e lembrar que este é o objetivo de ambas as partes e que ninguém tem o direito de impedir que o norte ou sul, leste ou oeste sejam livres. Deixemos ao povo esta decisão.
O Norte e o Sul estão hoje querendo tomar para si a decisão de seu destino. Devem empunhar uma bandeira; que deve ser branca, que simboliza a paz com que queremos que a separação se efetue e que depois sirva para que cada um coloque as cores que melhor lhe convenha. Devem também pegar uma folha de papel em branco para poder nela escrever, cada um a sua história, a sua Constituição. Este será o nosso símbolo, simples como as razões e puro como os nossos ideais.

Vamos então amadurecer a ideia de SEPARAÇÃO.

Baseado no movimento separatista do Sul.

Comentários