Carnaval

Festas para a Deusa Isis, no Egito Antigo, marcaram as primeiras celebrações do tipo “carnavalescas”.

Com a evolução da sociedade grega evoluíram também “os rituais”, acrescidos da bebida e do sexo, nas festinhas que cultuavam o DEUS Dionisus - Baco.

Na Roma Antiga bacanais, festejavam os DEUSES Baco, Saturno e Pã. Uma festa e tanto! As festas animadas são bem antigas, mas a expressão Carnaval viria bem mais tarde.

A Sociedade Clássica acrescentou ainda uma função política na urgia social às celebrações. Já que tava tudo uma zona, porque não criticar os governantes também? Esses festejos eram de tamanha importância para o povo, pois a data os liberava das frustrações da vida cotidiana. Esposas davam suas escapadinhas nessa data se utilizando de máscaras e roupas diferentes. Uma teatralização coletiva da inversão dos papéis sociais.

Nessa data podia tudo! Um acerto de contas com o universo. Ainda que metaforicamente, a idéia era a de ser o que vc quisesse - um rei, um vagabundo, pirata, um DEUS ou o DIABO, isso acalmava o Ego. A vagabundas da época podiam transitar no mesmo ambiente que a mais fina dama da sociedade. Quem vai saber? Homens vestidos de donzelas, donzelas trajando calças. Muita mascara. A idéia era mudar a lógica social.

Os escravos eram alforriados, as pessoas saíam às ruas para dançar e a euforia tomava conta. Na abertura dessas festas aos DEUSEs saíam às ruas homens e mulheres nus. Muitos dizem que daí saiu a expressão Carnelevamen que pode ser interpretado como carnis levamen, “prazer da carne”, antes das tristezas e continências que marcam o período da Quaresma.

A festança se estendia por três dias, terminando em bebedeira coletiva após um vale tudo... Quem vai saber?

Comentários